1. Início
  2. Investimento
  3. Tomador
  4. Se eu emprestar e a pessoa não pagar. O que vocês fazem?

Se eu emprestar e a pessoa não pagar. O que vocês fazem?

A Mutual realiza a cobrança extrajudicial, que é entrar em contato com quem pediu o empréstimo para que ele cumpra seu acordo. Além disso, por lei, adicionamos o valor de multa e juros e o investidor recebe este acréscimo ao pagamento da parcela.

Com 30 dias de atraso, iniciamos o processo de negativação junto ao SPC e cobramos multa de 2% do atraso, mais juros diários de 0,033%. Nós fazemos ligações e cobranças por e-mail e mensagens diariamente.

Após um atraso superior a 90 dias, consideramos a pessoa que pediu o empréstimo inadimplente. A Mutual avaliará caso a caso, verificando a necessidade e chance de sucesso de se entrar com a ação judicial para reaver os valores não pagos.

A decisão será tomada com base em um cálculo de econometria processual, chance de pagamento e outras variáveis internas. Tomamos assim, baseado em algoritmos e análise de cada caso, a decisão de ingressar judicialmente. Uma vez decidido iniciar o processo, avaliaremos todas as custas relacionadas e anteciparemos o pagamento das mesmas para os investidores que aplicaram recursos depois do lançamento do investimento por cotas. Destacamos que, ao final do processo, o valor da ação judicial será repassado e compartilhado entre os investidores, como consta no Artigo 10, inciso 10.16 do termo para investidores.

Quem realizou investimentos antes do lançamento das cotas precisa arcar com todas as custas do processo desde o início, sem antecipação por parte da Mutual.

Entenda melhor sobre a nossa inadimplência, acesse aqui.

Atualizado em 13/02/2020

Este artigo foi útil?

Artigos Relacionados